.
CERÂMICA É OPÇÃO NATURAL
13/10/2004
Artigo do Sr. Antonio Cristóvão Kipper
Vice-Presidente do SINDICER/RS


Historicamente, muitos materiais já foram utilizados para a construção civil. A maioria deles não sobreviveu a longo prazo porque suas qualidades intrínsecas se mostraram insuficientes para atender aos elevados requisitos exigidos para o espaço onde o homem passa grande parte do tempo. As exigências mais tradicionais, como resistência mecânica elevada, resistência ao fogo, durabilidade, isolamento térmico e acústico, impermeabilidade, flexibilidade, etc. são facilmente atingíveis pela grande maioria dos materiais atualmente empregados. No entanto, somente o tijolo e a telha fabricados a partir de argilas naturais, apresentam um desempenho amplo que atende a todos os requisitos ao mesmo tempo, inclusive responde ao grave problema da umidade em climas como o existente no Sul do País. Talvez por isto, os materiais cerâmicos, em especial o tijolo e a telha, nunca foram abandonados e ainda se mantêm como o melhor material de construção, mesmo em regiões desenvolvidas como a Europa, chegando lá a ser considerados como o “Campeões do Declato” dos materiais.
Por exemplo, a maioria dos materiais apresenta um bom desempenho térmico. Porém, só o isolamento térmico não serve muito, se não tivermos um clima qualitativamente agradável no habitat. E um habitat humano, moderno, não pode prescindir de níveis saudáveis. Esta condição se cumpre, perfeitamente, com paredes de tijolos, que funcionam quase como um sistema automático de regulação de umidade, acumulando vapor úmido do ambiente, liberando-o posteriormente, de maneira que, até em condições higrométricas desfavoráveis, o ambiente interno da construção com tijolos se mantém agradável.
A umidade pode mover-se num material poroso tanto em forma de vapor d`água, em baixas concentrações, como em forma de água líquida, quando em maiores concentrações. A zona limítrofe entre o transporte em forma de vapor e em forma líquida pode ser considerada como um nível crítico de umidade. Abaixo deste nível crítico, a umidade será transportada como vapor d`água por difusão e a quantidade transportada variará segundo a resistência à difusão do vapor d`água do material considerado. Além dos materiais cerâmicos, quase todos os outros materiais de construção são capazes de difusão, exceção feita aos materiais densos como plásticos e metais. No entanto, o sistema capilar de poros é decisivo para o transporte de água em forma líquida. Na cerâmica, este sistema faz com que, por efeito da capilaridade, a umidade seja succionada para fora do material. O mais importante e decisivo na opção do melhor material de construção é que esta é uma propriedade específica da cerâmica em geral, e do tijolo e da telha em particular. (...)
Devido às suas características de transporte de umidade, a argila queimada representa um admirável material de construção: apresenta baixa higroscopia, isto é, absorção de água, e muito baixo conteúdo de umidade. Para se ter uma idéia quantitativa pode-se afirmar que, em comparação com outros materiais de construção, a absorção de umidade e posterior liberação são, aproximadamente, dez vezes mais rápidos nos produtos cerâmicos.
O sistema de poros da argila queimada é produzido pelo fato da água ainda presente nas peças secas ser expelida a altas temperaturas provocando cavidades ou bolsas antes ocupadas pela água combinada. Esta importante característica da cerâmica que não exige nos outros materiais, tem a vantagem de absorver a umidade do ar, mas também tem a capacidade de desenvolver, novamente, esta umidade rapidamente. Por isso, uma parede ou cobertura cerâmica umedece-se com a chuva ou outras influências, mas também seca tão rapidamente como se formou a umidade.
Este é um fator decisivo na escolha do material para a construção civil, especialmente onde o fator umidade representa uma presença quase constante. E precisamente neste detalhe os materiais de argila cozida apresentam este desempenho singular, diferentemente de outros materiais de construção.

Antonio Cristóvão Kipper
Vice- Presidente do SINDICER/RS